Tuesday, July 10, 2007

Amor Platónico

Ao receber um prémio relacionado com o Amor, algo nas minhas estruturas mentais, aquelas vocacionadas para o blog, se abalou. De facto, eu nunca falo de Amor. Vou ter de começar a abordar mais essa temática. E vou começar já já hoje, querem ver?

Fui pesquisar um assunto, sempre actual, o Amor Platónico. A pesquisa deu o seguinte segundo a Wkipédia:


"Amor platónico é uma expressão usada para designar um amor ideal, alheio a interesses ou gozos. Um sentido popular pode ser o de um amor impossível de se realizar, um amor perfeito, ideal, puro, casto. Trata-se, contudo, de uma má interpretação da filosofia de Platão, quando vincula o atributo "platônico" ao sentido de algo existente apenas no plano das idéias. Porque Idéia em Platão não é uma cogitação da razão ou da fantasia humana. É a realidade essencial. O mundo da matéria seria apenas uma sombra que lembraria a luz da verdade essencial.
Disso pode-se concluir que o amor Platônico é uma interpretação equivocada do conceito de Amor na filosofia de Platão. O amor em Platão é falta. Ou seja, o amante busca no amado a Idéia - verdade essencial - que não possui. Nisto supre sua falta e se torna pleno, de modo dialético, recíproco. Nem de longe é a noção de amor covarde que nunca se realizará.
Em contraposição ao conceito de Amor na filosofia de Platão está o conceito de
Paixão. A Paixão seria o desejo voltado exclusivamente para o mundo das sombras, abandonando-se a busca da realidade essencial. O amor em Platão não condena o sexo, ou as coisas da vida material. Condena sim, o sexo ou qualquer outra coisa onde não haja a busca da Idéia de Bem, ao largo da qual orbitam as outras idéias, que Santo Agostinho chamou de Deus."

Apercebi-me do seguinte, enquanto que era uma estudante atenta de filosofia (uma das disciplinas que mais adorava no high school) sentia-me deveras interessada nesta perspectiva platónica das coisas, sem que forçosamente estivesse ligada ao Amor.


Agora que já não sou estudante de filosofia e tenho mais uns anitos em cima, só tenho uma coisa a dizer sobre este assunto: isto no início tem a sua piada depois... corre o risco de se tornar cansativo!


Qual é a vossa opinião?

7 comments:

nemadz said...

Post cor-de-rosinha...
Zzzzzzzzzz

Blondie said...

Nemadz,
acorda, acooooorda!!! Não devias estar a trabalhar a estas horas?
Vou fazer queixa ao seu patrão, dizendo que o menino adormeceu enquanto consultava blogs cor-de-rosa :p
Kiss

avelaneiraflorida said...

Tive um azar tremendo!!!
Só tive professoras de Filosofia!!!!

Logo...

Ah, mas já encontrei alguns colegas "filósofos"...não deu foi para perceber se eles conheciam PLATÂO!!!!!!!!!

Ehehehehhe!!!!!

Bjks. BLONDIE!

Kitty said...

Concordo contigo. No início pode ter alguma piada. Depois perde-a toda! :-D

Blondie said...

Avelaneira,
hehehehe
já eu tive óptimos professores de Filosofia, para contrapôr aos restantes meus professores, de todo o meu percurso escolar.
Por acaso sempre tive maus professores, incluindo das disciplinas que mais gostava, como sendo o Portugues:(
Mas por acaso adorei filosofia, ainda hoje gosto bastante. O meu preferido é Sócrates e Nietzche. O último deu-me algumas dores de cabeça, na altura eheheh
Beijocas

Kitty,
é mesmo não é?? Acho isso também...
Beijocas

psique said...

Amor Platónico, é giro e tal, faz cosquinha na barriga, mas...
falta um bocadinho do carnal, que é mt importante

Blondie said...

Psique,
sem dúvida!!! Tens toda a razão!!
Beijocas