Friday, October 27, 2006

Mais um presentinho...

... para variar da RTP! Adorei a Grande Entrevista, ontem, com António Lobo Antunes.
É tão bom ouvir falar de literatura, enche-me as medidas. Adorei ouvir o escritor a falar sobre o seu processo criativo, sobre a sua relação com o mundo circundante, sobre a sua inspiração, sobre o seu conceito de liberdade (que achei particularmente interessante). Claro que o botãozinho do meu sentido crítico estava ligado, acho que devemos, enquanto espectadores, estar sempre munidos de sentido crítico.
Mais uma vez, expresso a minha tristeza pelo facto de as artes não serem reconhecidas, nem apoiadas.
Eu acho que o artista deve alimentar-se da sua criação, da sua arte e do seu génio criador, senão como conseguiria persistir e resistir às adversidades e à falta de reconhecimento?
Num momento em que se fala tanto no título de Melhor Português, na minha opinião deveria ser atribuído a alguém ligado à literatura. Deixem-me puxar a brasa para a minha sardinha :)
Mesmo tendo preferidos (realistas, modernistas), já ficaria sobejamente feliz se fosse alguém relacionando com a escrita.

4 comments:

mfc said...

É sem dúvida um vulto da literatura portuguesa. Que difícil foi a entrevista por parte de Judite de Sousa... ele não é mesmo uma pessoa fácil d eentrevistar.

Emilia said...

Não vi a entrevista e concordo que ele é uma pessoa difícil de entrevistar.Por outras entrevistas dele que li. Mas, que escritor de talento! Tenho de confessar, no entanto, que tive alguma dificuldade em ler alguns dos seus últimos livros...Adoro-o nas crónicas.Gosto do irmão, João.E, para melhor português, estou a inclinar-me para os que salvam vidas: o dr Manuel Antunes, o cirurgião cardiotoráxico de Coimbra, entre outros.Mas aprovo a escolha de alguém legado à escrita.
Bjo

Pelicano said...

Não gosto dele por aí além... não vi a entrevista mas acho-a fraquinha, é sempre demasiado afável ficando por saber se por critério editorial ou se falta de jeito e perspicácia.

Blondie said...

Sem dúvida, não foi nada fácil entrevistá-lo. Acredito que para o criador seja um pouco difícil falar e explicar a sua criação. Como alguém me disse... para uma pessoa que se isola, de forma a dedicar-se inteiramente ao seu acto criativo, depois torna-se difícil retomar a convivência com as pessoas.
Também não pertence aos meus autores preferidos.