Sunday, October 15, 2006

Blondie e a Autoridade

Há uns meses, na entrada para a minha garagem, tive outro encontro de 1º grau com um agente da autoridade; que sinceramente nunca gosto de ter, pois significa, normalmente, que algo está errado, ou estamos perdidos, ou fomos assaltados, ou cometemos algum crime!
Ora mesmo na entrada da minha garagem, existe uma situação digna de "Portugal no seu melhor", pois tenho que passar um semáforo, que fica mesmo em cima da entrada para a minha garagem, de forma a aceder à mesma. Consequentemente, estando sinal vermelho todos os moradores avançam na mesma, pois não vamos seguir para o cruzamento, apenas queremos entrar na garagem.
Um dia estava um senhor agente da autoridade na rua e viu-me a passar o sinal vermelho e veio ter comigo. Eu pensei "Ora bolas, tinha que ser comigo!". No entanto, mal começou a falar comigo, notei que ele próprio não estava muito confiante com o que estava a dizer, pois a situação é deveras estranha. Então pensei "Bem ele não está confiante, se calhar ainda me posso desenrascar. O cabelo loiro vai valer-me agora!"
Então, comecei a falar num tom de voz muito baixinho, vagarosamente, calmamente, e fui dando a entender que eu prórpia estaria muito confusa com aquela situação e que não sabia como reagir. Comecei a repetir muito o que ia dizendo, referindo sempre que já tinha comentando com meio mundo aquela situação, mas que ninguém me saberia explicar o que fazer. Fui também mexendo no cabelo, dando mesmo um ar de loira trenguinha (este é um adjectivo muito utilizado no norte). Por incrível que pareça, quando dei por mim, o senhor agente começou a recuar, paulatinamente, até que foi embora sem se despedir. Fiquei tão aliviada que entrei na garagem o mais rápido que pude, não fosse ele arrepender-se.




Nota: Acho incrível como os agentes da autoridade quando se aproximam das pessoas nem as cumprimentam, como aconteceu comigo e como já assisti com outras pessoas. Uma vez uma senhora ficou sem querer em cima da linha do metro e um agente chegou à beira dela e directamente perguntou "Onde tirou a carta?". Ora, acho que não é assim que se deve tratar os cidadãos comuns.

5 comments:

FL said...

Quer dizer, andas a dizer mal das cabeleireiras e agora contas que o teu cabelo loiro é uma arma. Se elas sabem um dia ainda chegas a casa morena ;)

Por acaso nunca tive más experiências com os senhores agentes.

Pelicano said...

Eu tive uma engraçada. uma vez entram dois polícias numa marisqueira onde eu estava com 3 amigos. Perguntam mesmo ao meu lado de quem era o carro X que estava arrumado na linha do eléctrico. Eu, os meus amigos e as 12 imperiais na mesa olhámos para os polícias e ficámos à rasca... foram porreiros, limitaram-se a pedir-me para tirar o carro que impedia à 10 minutos o eléctrico de passar e recomendaram-me que não voltasse a cometer aquela infracção

Margarida said...

Nós, as morenas esbranquiçadas, não temos armas..se fizerem um estudo, aposto que 89% das multas(a mulheres) são passadas a mulheres morenas, sendi que os restantes 11% são mulheres ruivas e loiras muito feias.
Neste mundo? Neste mundo não há justça!

Margarida said...

JUstiça! Até me engasguei com os nervos!

Blondie said...

Fl:
Cruzes, credo, canhoto...será mesmo?? Espero que elas não leiam este post :)

Pelicano:
Que sooorte!! Tiveram mesmo muita sorte. Uma vez contaram-me que um polícia também havia sido simpático com alguém, mas que no fim disse "Agora veja lá! Não ande aí a dizer aos amigos que convenceu o polícia!" heheeheh

Margarida:
Amiguinha, tens que começar a utilizar os teus poderes de morena.... até porque estou a lembrar-me de uma certa fotografia ;) Se andares com essa fotografia no bolso e mostrares ao polícia ele deixa-te logo ir embora;)