Sunday, September 24, 2006

Someone said...

... só escreve quem é infeliz...

Someone thought...


...se calhar nos momentos infelizes temos a necessidade de passar as nossas emoções para o papel, precisamos de compreensão e de compaixão; a escrita é quase como que um processo de catarse....
...contrariamente, nos momentos de felicidade, estamos demasiadamente envolvidos e absorvidos pela situação de felicidade, logo não precisamos de pausas para reflexão nem de passar para o papel os nossos sentimentos, não há partilha de emoções.....
Ultimate conclusion....
... os nossos momentos de felicidade são de puro egoísmo...

9 comments:

Anne Marie said...

Olá!
Não sei se serão de puro egoismo... acho é que são pouco reflectidos enquanto vividos.... mas sei lá eu...

Beijos!

Blondie said...

Boa perspectiva!! :)

Pelicano said...

Discordo... pressupõe que a escrita surge pela necessidade de libertação de receios, tristezas, angústias e ansiedades. Pode também aparecer a partir de um estado de felicidade eufórica que se afigura real ou até de felicidade pura sem recurso a estímulos exteriores.

Blondie said...

Pelicano:
Concordo, aliás este post surgiu da associação de ideias entre os vários interlocutores. Não há aqui a pretensão de se constituir uma verdade irrefutável.
Eu também concordo que existem momentos de alegria e êxtase puros que precisam de ser passados para o papel e de ser partihados. No entanto, também é verdade que a temática, dos textos escritos, passa muito pela infelicidade do autor, pela perda, pela tristeza, pelo arrependimento...etc. Acho que o ser humano necessita mais de desabafar esses momentos, de partilhálos, talvez com o intuito de encontrar compaixão, compreensão por parte do receptor.. ou memso só para desabafar. Os próprios psicólogos aconselham as pessoas que sofreram uma perda, a escreverem cartas ou um diário, para aliviar a dor.

Blondie said...

*partilhá-los
*mesmo

Pelicano said...

Concordo. Repara que alegrias são mais fáceis de exteriorizar ou partilhar. Daí a escrita ser vista como escape. Desabafa-se sem se desproteger em relação aos outros. Mas detesto ouvir "O escritor é um sofredor, o poeta..."
Mas cada um carbura como quer e o importante é sentirmo-nos sempre um pouco melhor, seja qual for o método ou meio utilizado.

Blondie said...

Exacto!!

minds said...

Talvez a maior parte dos escritores sejam egoistas em apenas partilhar connosco as suas perdas, tristezas, os seus desgostos.....
Pessoalmente, adoro escrever, sou viciada na escrita :), e tanto escrevo estando triste ou feliz...
Admito sim, que estou muito mais inspirada nos momentos menos bons,nesses momentos o papel e a caneta sao os meus melhores amigos!
Belo post...

Blondie said...

Que vício bom, o da escrita! Ao ler os teus posts acho que o fazes muitíssimo bem.
Obrigada pela tua partilha :)
Beijinhos